quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Quando?

Muitas vezes precisamos de pular, de mudar... mas as mudanças custam... estamos tão habituados as nossas vidinhas, que mesmo sonhando as coisas não acontecem...
Porque temos tanto medo do desconhecido? Porque é que só nos sentimos confortáveis naquilo que nos é familiar?

Sim... as vezes precisamos de uma racha! Mas... a questão que levanto é, como identificá-la? Como saber ser necessário dar o pulo?

7 comentários:

Satori disse...

Part1
As mudanças só custam, por apego ao passado e coisas mal resolvidas que nos impedem de seguir em frente... o hábito limita, prejudica o crescimento, mas compreendo o conforto que parece oferecer, e que consequentemente leva-nos a ter medo do desconhecido "barreira fundamental de uma sociedade tida como SÃ" onde são criados sentimentos negativos e que se encaixam perfeitamente no nosso consciente...impondo regras que mesmo não as compreendendo aceitamo-las.

Satori disse...

Part2
Agora o ponto importante a Racha!...abertura para a mudança, encontramo-la onde?, seria tão mais simples ir ao shopping comprar...Eu acho que é a nossa própria vontade que define o momento da racha...ás vezes á que reflectir o que de novo temos na nossa vida, que poderá ser-nos importante para uma mudança... acontece de uma forma tão simples como respirar.
E eu acredito que quando sonhamos e temos bons pensamentos as coisas acontecem...adoro sonhar, mesmo que acordado.
"tu sabes que é possivel voar com asas, mas ainda não aprendeste a voar sem elas" os hábitos que aceitamos na nossa vidinha, e o nos sentirmos comfortavéis com o que é familiar.

Su disse...

Fofa deixei-te um desafio no meu blog..
bj

gustavo disse...

Mas porquê ver a racha como o desafio? Porque não somos nós próprios a racha? Porque não somos o ponto de partida para a mudança do próximo? Será isto egoísmo ou, pelo contrário, sermos a racha que permite (de forma altruísta) o salto do outro? Porquê continuar a ver o problema através de um paradigma de uma sociedade deprimida que tenta apenas atingir o próximo objectivo? Será muito não querer morrer a tentar sonhar com a nossa "pequenês"?
Sejamos a racha que queremos saltar!

Guilherme disse...

aeiou

Hugo disse...

o medo não está no desconhecido e sim na solidão inicial.. qnd mudamos algo na nossa vida, especialmente a nossa localização, implica comecar td de novo.. isso normalmente é feito de bom grado.. com vontade.. o q assusta as pessoas é aquele tempo inicial em q n têm ng com quem falar e que dê apoio para enfrentar aquelas dificuldades iniciais q encontram no trabalho novo, vizinhos novos, pessoas estranhas com quem se cruzam todos os dias..

somos criaturas de hábitos.. rotinas.. mas não te esqueças que há boas mudanças e algumas delas trazem para a nossa vida pessoas em quem confiamos mais do que amigos de longa data.. há sortes e sortes.. mas tudo depende das nossas decisões.. nós construimos o nosso próprio futuro e as grandes mudanças têm obrigatoriamente que ser bem ponderadas..

como saber q é preciso mudar? é fácil.. se não sabes é pq não precisas.. qnd precisares algo em ti desperta e diz.te o q fazer, depois disso basta procurar a oportunidade certa e dar o salto na esperança que será para melhor..

KaRL disse...

Sweet sweet sweet sweet little agony
I don't know just where you've been
But I'll take take take
All that you have for me
In sin
Where are we going?

And they all want you to change
And they all want you to change

And the sad sad sad
All the sad faces drown
In this town
Where are we going?

And they all want you to change
Where are we going?
And they all want you to change
Where are we going?

:)